CPT - Centro de Produções Técnicas

White hat vs. black hat: As práticas boas e ruins do SEO


Ter um site no topo do Google é sinônimo de muito esforço e paciência. Justamente por demandar tempo e trabalho, muitos acabam caindo nas tentações de percorrer caminhos alternativos para tentar conseguir resultados mais rápidos e que não exigem tanto empenho.
A técnica mais comum usada para ficar no topo do Google é o SEO (Search Engine Optimization), que consiste em melhorar o volume e a qualidade do tráfego que um site recebe, fazendo com que ele seja mais facilmente encontrado por usuários propensos a gerar conversões.

Para isso, existem duas formas de alcançar o lugar tão almejado nas páginas de busca: uma boa e outra ruim.
É como em um conto de fadas, onde há sempre uma moral da história para quem se beneficia das coisas injustamente e para os que se esforçam para conseguir algo dentro das regras estabelecidas. 

Dentro desse exemplo, os personagens da história são o Black Hat e o White Hat.
 
O primeiro é quem gosta de quebrar regras, passar por cima dos padrões e tenta pegar todos os atalhos possíveis para chegar ao objetivo final sem precisar ter tido muito trabalho. Já o White Hat é quem acredita que colherá bons frutos após muita dedicação e esforço, fazendo isso sem prejudicar a experiência das pessoas e tendo paciência para que seu trabalho seja reconhecido com o tempo. 

Os exemplos podem parecer bobos, mas representam exatamente o que cada um significa dentro do mundo do SEO. Basicamente, são as atitudes boas (white hat) e ruins (black hat) praticadas para melhor posicionarem os websites nos motores de busca.
Sabe-se que muitas vezes as práticas consideradas ruins, ou Black Hats, podem trazer resultados rapidamente e encher os olhos de quem queria ver seu site no topo. Mas isso é visto como uma ação que vai contra as diretrizes do Google e gera consequências bastante ruins aos praticantes.






Black Hat

Como dito anteriormente, este é o vilão da história. É o conjunto de técnicas que vão contra as diretrizes do Google, fazendo de tudo para colocar um site no topo sem que seja levada em consideração a experiência dos usuários.
O Black Hat quer retorno rápido em seu website ao invés de um investimento a longo prazo. Com isso, utilizam-se de técnicas injustas para burlar o sistema com o risco de serem pegos e penalizados por suas atitudes.
Algumas das ações praticadas pelos Black Hats são:


  • Keyword Stuffing - Quando são colocadas e repetidas diversas vezes as mesmas palavras-chave em um texto ou no próprio site.

  • Link Farming - É o “cultivo de links”, por assim dizer. Seria um enorme grupo de páginas que linkam para o mesmo website com o intuito de manipular o posicionamento para determinada palavra-chave usada no texto dessas páginas.
  • Content Spamming - São comentários disparados para vários websites, por exemplo, com o objetivo de linkar seu website a todo custo.
  • Cloaking - O conteúdo apresentado para os usuários é diferente daquele que realmente existe na página. Textos e links escondidos, por exemplo.
  • Scrapping - É a cópia de conteúdo de outros websites, repetição e não originalidade.

Claramente, cometer alguma dessas violações acarretará em punições ao site assim que detectadas. Dependendo do que foi feito, sua página pode ser rebaixada drasticamente muitas posições ou até mesmo ser excluída das buscas do Google. Ou seja, optar por Black Hats pode acabar com toda a reputação do seu website frente ao Google, independentemente de já ter ou não usado técnicas legais.

White Hat

Já o White Hat é totalmente ao contrário. São técnicas que, primeiramente, focam na experiência do usuário para que isso renda bons resultados a longo prazo. Sem dúvidas é mais trabalhoso, demanda tempo, dedicação e criatividade... mas fará com que seus objetivos sejam alcançados de forma justa, que terão uma vida longa e sem riscos de punição.
Essa é a opção indicada e correta para atingir ótimos resultados e, consequentemente, uma reputação cada vez melhor diante dos usuários. As técnicas White Hat são as seguintes:



  • Guest Blogging - Escrever em outros blogs para gerar um link apontando para seu website, assim como convidar pessoas para escreverem em seu blog e oferecer conteúdo de qualidade aos usuários.

  • Link Baiting - Criar conteúdo inédito, interessante, sensacionalista… tudo isso incita as pessoas a compartilharem, lerem e divulgarem sua página, fazendo com que mais links apontem para o seu website.
  • Quality Content - Esse não é nenhum segredo! Oferecer uma leitura de qualidade e ser uma fonte de informação relevante é uma arma poderosíssima que qualquer um pode ter nas mãos. Seja referência na sua área e torne os usuários cada vez mais fiéis à sua página simples e puramente por oferecer algo que realmente seja construtivo e interessante.
  • Internal Linking - Utilizar-se do próprio conteúdo para linkar para outras páginas do seu website e aumentar sua autoridade.
  • Site Optimization - São recursos sem nenhum custo adicional que podem ser feitos com uma dose de tempo e planejamento. Otimizar títulos, descrições, incluir palavras-chave… tudo isso pode parecer pouco, mas são os detalhes que fazem a diferença em todo o conjunto de ações.
Sempre tem a moral da história, não é mesmo? Os vilões sofrem as consequências por seus atos mal intencionados e os mocinhos bons são recompensados pelas ações. No mundo do SEO não é diferente!
Por isso a importância de tomar a decisão certa, levando em consideração os riscos e benefícios das técnicas que serão utilizadas. Realmente é muito tentador saber que existem caminhos mais curtos e que podem render resultados rápidos, mas avalie se vale a pena arriscar tudo e por fim ser excluído do Google.
Não é preciso pensar duas vezes para saber que não vale a pena colocar tudo em jogo por causa de técnicas ilegais. Seja um White Hat e ofereça uma boa experiência as usuários, ganhe confiabilidade e obtenha resultados muito mais valiosos que vão durar por muitos e muitos anos consecutivos.

Escrito por Bianca Thomé - Jornalista e certificada em Marketing Digital pela Dublin Business School. 
Fonte: br.hubspot.com/

=======================  =========================

Dois tipos de pessoas vão se beneficiar mais de SEO: A Bíblia ? 

As pessoas interessadas em se tornar os seus próprios consultores de SEO, e as que querem apenas saber como a SEO funciona. Se você já for um especialista no assunto, é provável que descubra que já está familiarizado com as informações contidas nestas páginas. Poderá haver alguns detalhes que valerá a pena aprender, no entanto; assim, se você precisar de um curso de revisão no assunto, continue lendo.
Para os leitores novatos em SEO, vocês encontrarão as informações de que precisam para entender e começar a implementar estratégias de SEO, as quais irão ajudar a melhorar o seu posicionamento nos rankings nos mecanismos de busca e a levar visitantes mais bem selecionados para o seu site.

  • Título: SEO: Otimização Para Mecanismos de Busca - Bíblia
  • Páginas: 400
  • Idioma: Português                                      Comprar
  • Autor(a): Jerri L. Ledford